22.5 C
Brasília

Centro de Reciclagem da Estrutural já é realidade com emenda de R$4 milhões de Flávia Arruda

Data:

Compartilhe:

O DF ganhou na útima quarta-feira (2) a mais moderna estrutura de reciclagem do país com a inauguração do Complexo Integrado de Reciclagem na Estrutural. A deputada federal Flávia Arruda (PL-DF) destinou R$4 milhões para o empreendimento que vai gerar mais de 2 mil empregos e tem capacidade de processar 5 mil toneladas de resíduos por mês.

“O complexo de reciclagem é um divisor de águas na vida de centenas de catadores. É tecnologia, oportunidade, formação, dignidade! Um trabalho que será referência para o país e a América Latina, fruto do nosso trabalho no DF!”, destacou Flávia Arruda.

Flávia Arruda, em seu primeiro mandato parlamentar, teve a visão do coletivo ao destinar emenda para o Centro de Reciclagem

Durante a inauguração do complexo, os gestores do DF destacaram o cunho socioambiental da grandiosa obra. “O Complexo de Reciclagem tem um apelo social forte, porque vão ser quase mil famílias trabalhando aqui. Famílias que estavam desalojadas e sem trabalhar. Essas pessoas vão ganhar dignidade com as cooperativas que vão trabalhar aqui. Este local será referência nacional como o maior centro de reciclagem do país”, destaca o governador Ibaneis Rocha.

O secretário do Meio Ambiente, Sarney Filho, destacou a parceria com a parlamentar para garantir recursos para o projeto.

“A construção do espaço é importante nos aspectos técnico, econômico, social e ambiental”, avalia o secretário.

O complexo ocupa uma área de 80 mil m² na Cidade Estrutural e compreende duas centrais de triagem e reciclagem (CTRs) e uma Central de Comercialização (CC). A estrutura será gerida pelo GDF em parceria com cooperativas e associações de catadores.

O Complexo Integrado de Reciclagem do Distrito Federal  será capaz de processar até 5 mil toneladas de lixo por mês, com aparelhos de última geração e o trabalho de dois mil catadores | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

O Complexo de Reciclagem dispõe de duas centrais de triagem e reciclagem (CTRs) e uma Central de Comercialização (CC). No primeiro ponto, os resíduos são recebidos da coleta seletiva; passam então pelo processo de separação, classificação, pesagem e prensa. Depois, o material segue para a Central de Comercialização, onde ocorre o processo de beneficiamento, estocagem e comercialização. Todo o trabalho é feito com aparelhos de última geração e instalações com acessibilidade.

*Com informações da Agência Brasília e Imprensa Flávia Arruda

publicidade
zuleika

Quem é Zuleika Lopes

1

━ Relacionadas

Alunos da Arena Guará vencem em Natal e precisam da nossa ajuda para disputa na Argentina

A Equipe de Kung Fu Grupo Tigre do grão mestre Valdir Bezerra, juntamente com a seleção do Distrito Federal (FAME-DF), que treinam na Arena...

Dança com ginástica já cativou os frequentadores do Esporte da Melhor Idade no Polo de Moda do Guará

No local, de tudo tem um pouco para que a Terceira Idade viva a melhor fase de suas vidas. Várias frequentadoras do projeto, procuraram...

Iniciada a duplicação da via de ligação entre Guará e Núcleo Bandeirante

Projeto, que tem investimento de R$ 10,1 milhões e conta com ciclovias e passagens para pedestres, irá desafogar o trânsito e garantir maior trafegabilidade...

Caesb abre processo seletivo para estágio remunerado

Estudantes de nível médio, técnico e superior poderão se inscrever entre os dias 28 de maio e 12 de junho A Companhia de Saneamento Ambiental...

Mamulengo Fuzuê inicia projeto de Teatro Popular de Bonecos em Ceilândia, Sol Nascente/ Pôr do Sol

O projeto VIVA O MAMULENGO! se estende durante todo o ano de 2024. Serão realizadas ações para fortalecer a salvaguarda da tradição, a formação...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

error: Conteúdo protegido