12.5 C
Brasília

Cobrança nos parques públicos gera polêmica e penaliza os educadores físicos

Data:

Compartilhe:

A pandemia do coronavírus trouxe diversos problemas e afetou a vida financeira de milhões de pessoas. No Distrito Federal, uma categoria, a dos educadores físicos, vem sentindo diretamente os impactos com os fechamentos de academias, ou por lockdown ou por falta de recursos para arcar com os elevados custos. O que parecia ser uma luz no fim do túnel, com aulas nos parque públicos e gratuitos do DF, virou um Cavalo de Troia, com a possível cobrança aos educadores físicos que cobram por aulas ao ar livre e nos parque administrados pelo Ibram.

Sabem aquela foto inesquecível na Praça da Fontes no Parque da Cidade? será cobrada também. Fotos de noivos e grávidas no Deck Sul? cuidado que o inesquecível pode sair muito caro. O que mais temos de bonito no nosso quadradinho vai ser taxado e à população que tanto admira os nossos espaços verdes e querem eternizá-los em fotos.

Instituto Brasília Ambiental (Ibram), responsável pela gestão de 82 unidades de conservação (UCs) no Distrito Federal, regulamentou a utilização e conduta nos espaços públicos dentro de parques como o de Águas Claras, Olhos d´Água (Asa Norte) e da Península Sul (Lago Sul). Diversas atividades executadas por terceiros dentro dos parques serão taxadas. Os valores ainda não foram definidos.

Cristiano: A Câmara Legislativa poderia abrir uma consulta popular sobre o esta nova cobrança

Para Cristiano Monteiro, gestor ambiental, a questão é polêmica e a população deveria ser consultada. “Temos que ficar atentos e alertas á essas novas regras do (IBRAM), não pode ser um se colar colou com intuito de cobrar o uso posteriormente do acesso ao lazer e atividades físicas da comunidade. Também não acho muito justo nesse momento cobrar dos profissionais de Educação Física esses valores, com fechamento das academias muitos ficaram desempregados era um alternativa á crise. Com relação ao monitoramento, e regulamentação acho importante, esse tema merecia uma audiência pública e deveria ter passado no plenário da CLDF, pois envolve os parques de várias cidades incluindo o nosso do Guará, e diretamente a população de Brasília”, conclama o gestor

instrução normativa n° 16, publicada no Diário Oficial do DF (DODF) de segunda-feira (12/4), traz os detalhes do que é necessário para o público utilizar os parques em eventos, feiras e aulas esportivas, entre outras atividades. Em casos de publicidade para fins comerciais, books, gravação de clipes e filmes, por exemplo, a captação de imagens nas unidades de conservação será permitida mediante autorização prévia e cobrança. Também será cobrada taxa em caso de aulas que não são gratuitas.

*Com informações do Metrópoles

publicidade
zuleika

Quem é Zuleika Lopes

1

━ Relacionadas

Entenda o golpe do Pix errado e saiba como não ser enganado

Criminosos alegam transferência por engano e pedem devolução À medida que o Pix vai sendo cada vez mais utilizado para pagamento e transferência de dinheiro,...

Proteção legal para animais vítimas de maus-tratos no Distrito Federal

Publicado no DODF desta sexta-feira (19), texto proíbe o tratamento dos bichos como objetos e garante tutela jurisdicional em caso de violação de direitos O...

Park Sul tem seu templo regularizado por meio do Programa Igreja Legal

Governador Ibaneis Rocha entregou, na sexta-feira (19), à Mitra Arquidiocesana de Brasília o Contrato de Concessão de Uso Oneroso com Opção de Compra da...

Detran-DF realizará leilão de veículos nos dias 29, 30 e 31

Serão 873 veículos, sendo 388 destinados à circulação e 485 classificados como sucata O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) promoverá nos dias 29,...

Experiência HackaCity Guará 2024 com atividades para impulsionar o futuro da tecnologia na Escola Técnica

Prepare-se para uma experiência única e transformadora nos dias 20 e 21 de julho, a partir das 9h, no Guará. O evento HackaCity promete...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

error: Conteúdo protegido