20.5 C
Brasília

Projeto investe em mentores negros para impulsionar afroempreendedorismo no DF

Data:

Compartilhe:

O programa abre caminho para um futuro promissor para empreendedores negros

Para muitos empreendedores, a jornada de iniciar um negócio do zero é repleta de desafios e incertezas. Imagine agora enfrentar essa empreitada sem capacitação adequada e suporte. Essa é a realidade de muitos indivíduos, especialmente daqueles que pertencem a grupos sociais específicos, muitas vezes invisíveis para grande parte do mercado.

Nesse cenário, o afroempreendedorismo emerge como uma poderosa forma de resistência e afirmação da identidade. Ao pensar na economia étnica como uma estratégia vital, os empreendedores negros não apenas buscam gerar renda, mas também reivindicam seu espaço e narrativa na sociedade.

Embora o termo possa parecer recente, suas raízes estão profundamente entrelaçadas com a história. Nasce da necessidade histórica de pessoas negras, muitas vezes escravizadas, buscarem autonomia e liberdade econômica. Era a busca por sobrevivência e dignidade, onde o empreendedorismo se tornava não apenas uma escolha, mas uma necessidade urgente para se tornar protagonista de sua própria história.

Capacitação

Reconhecendo a importância crucial dos mentores negros no processo de empoderamento e desenvolvimento dos jovens empreendedores, o projeto “Igualando Oportunidades” surge como uma iniciativa visionária para impulsionar o afroempreendedorismo brasiliense e construir um futuro mais justo e inclusivo para todos.

Por meio de palestras, workshops e mentorias com especialistas renomados, o projeto oferece capacitação em áreas como: elaboração de plano de negócios, marketing, finanças e gestão de projetos, tecnologia da informação, programação, desenvolvimento de software, aplicativos, redes sociais e habilidades empreendedoras.

Com o apoio de mentores negros experientes e engajados, o programa abre caminho para um futuro promissor para o afroempreendedorismo no Distrito Federal. Através da capacitação, do desenvolvimento de habilidades e da criação de um ecossistema de apoio, a iniciativa empodera jovens negros e os impulsiona na jornada para o sucesso, construindo um futuro mais justo e inclusivo para todos.

Ao falar sobre o Igualando Oportunidades, o juiz do Tribunal de Justiça do DF e Territórios e professor da Escola de Magistratura do Distrito Federal, Fábio Esteves, destaca a importância da ação para gerar condições equitativas para empreendedores negros, enfatizando que essa iniciativa é crucial para promover a igualdade com impacto na ordem econômica da sociedade. 

“O projeto, ao propor ação para gerar iguais condições para pessoas negras empreender, avança de forma bastante qualificada para a promoção da igualdade com impacto na ordem econômica da sociedade. Componente essencial para a redução das desigualdades raciais diz respeito à racialização do espaço econômico, que é expressivo de poder”, afirmou o juiz. 

Apoiador do projeto, o juiz Fábio fez a abertura da programação do primeiro ciclo de palestras do programa em janeiro no Planetário de Brasília e destaca que a incubadora representa não apenas uma oportunidade de negócios, mas também um símbolo de realização e reconhecimento para uma comunidade que merece ocupar seu espaço e demonstrar todo seu potencial empreendedor. “Acredito que a incubadora fortalecerá a criação de um tipo de projeto que leve em consideração as ideias, a história, a compreensão que as pessoas negras têm de mundo, da vida e do espaço onde elas vivem”.

Segundo a coordenadora do Igualando Oportunidades, Cristiane Pereira, o projeto nasce em 2018 visando inserir o jovem negro no mercado de trabalho. “Agora em 2024, a gente vem com outra roupagem, fazer com que os alunos desenvolvam seu projeto inovador por meio da tecnologia da informação”. 

Reconhecimento 

Para a escritora Hulda Rode, fundadora da Escreva, Startup que conecta novos autores ao mercado editorial e aluna do primeiro ciclo de palestras do projeto Igualando Oportunidades, a incubadora tem sido um divisor de águas no sentido de absorver os conteúdos das aulas e de se inspirar com as histórias dos participantes. “Cada encontro possibilitou conhecer o modelo de negócio das empresas e de ver o diferencial competitivo que adotaram para fazer o empreendimento decolar”.

Segundo Hulda, o primeiro ciclo de palestras foi fundamental para ela aplicar novas ferramentas para medir a satisfação dos clientes e colaboradores e também aprimorar as práticas operacionais da empresa. “Compreender melhor as nossas personas, também possibilitou a identificar melhorias e tomada de decisão em relação às áreas que precisava implementar como o comercial e marketing, permitindo a contratação de 4 novos profissionais. Agora o próximo passo é desenvolver o novo planejamento estratégico da Escreva (visão 2025-2035) e vislumbrar o nosso aniversário de 5 anos que será em 5 de fevereiro de 2025”, comemorou a empresária. 

Jailson Mota, que trabalha com desenvolvimento de software, viu no programa uma possibilidade de tirar seus sonhos do papel. “Estamos quebrando barreiras e mostrando para todos que é totalmente viável. Ao ocuparmos esse espaço, estamos provando que essa realidade é alcançável. Para mim, mais do que o projeto em si, o que mais importa é o significado por trás disso, sabe? É a representação simbólica das pessoas transformando sonhos em realidade”, afirmou. 

Para o doutor em comunicação e mentor da incubadora, Rubenilson Cerqueira, todas as pessoas têm algo para impactar a vida de outras. “Nunca é tarde para você se reinventar e procurar de fato aquilo que irá te fazer feliz e aquilo e que você irá atingir seu objetivo profissional e pessoal”, ressaltou o mentor. 

Nesse contexto, a figura do mentor assume um papel fundamental na capacitação do aluno. Mais do que transmitir conhecimento técnico e prático, esses especialistas servem como exemplos inspiradores, oferecendo aos jovens afroempreendedores conexão com a história e a cultura afro-brasileira por meio de suas vivências e trajetórias de sucesso, permitindo que os jovens se identifiquem e se conectem com suas raízes, construindo um senso de pertencimento e orgulho de sua identidade, superação de obstáculos específicos, visão estratégica e mentoria personalizada e visão estratégica e mentoria personalizada. 

Mentores do projeto

Conheça alguns dos mentores negros que impulsionam o projeto:

  • Rubenilson Cerqueira: Doutor em Educação (UNB), Mestre em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional (Ceam/UNB), Internacionalista (UDF), empreendedor social, professor, consultor, mentor e fundador do Galt Vestibulares.
  • Larissa Umaytá:  percussionista, produtora e educadora, cresceu no berço da cultura popular com o Bumba Meu Boi de Seu Teodoro, seu avô e, nas rodas de samba da família. Larissa atua em diferentes frentes da música popular brasileira, conversando com diversas linguagens e gêneros musicais, levando a percussão como forma de comunicação e transformação pelos palcos, internet e também pelas oficinas e workshops.
  • Ester Sabino: graduada e mestre em design pela UnB, tendo como campo de pesquisa design educação e inovação em governo, além de experiências profissionais em estratégias criativas, branding, impacto socioambiental, comunicação, mobilização social e políticas públicas com e para o design. Atualmente é gerente de Educação Ambiental na Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Espírito Santo, é Global Shaper, fellow da Social Good Brasil e articuladora do movimento Mulheres Negras Decidem.
  • Nayana Cambraia: investidora, inovadora social e gerente de projetos. Com um histórico de investidora em negócios de base comunitária, consultorias e gestão de programas em governos, iniciativa privada e terceiro setor, se destaca pela experiência em tecnologias sociais e gestão da mudança para adaptação de metodologias ágeis para negócios de impacto, com passagens por organizações como Cieds, Yunus, Médicos Sem Fronteiras, Rede Mulher Empreendedora e Fundação Mapfre. Hoje atua como gerente de Portfólio na NESsT com negócios da Amazônia (bioeconomia) e negócios que fomentam a equidade racial.
  • Tairo Felipe Gomes: empreendedor e produtor musical.
  • Leonardo Julio: graduando em engenharia aeroespacial pela UNB, iniciou sua trajetória no empreendedorismo em 2013 na Universidade de Georgetown, explorando inovação e empreendedorismo. Contribuiu para o satélite SERPENS em 2014 com a Agência Espacial Japonesa. Trabalhou em grandes instituições como Agência Espacial Brasileira e Banco Morgan Stanley entre 2019 e 2021, agora como fundador do Ideia Space e All To Space, inova na educação espacial e agronegócio, consolidando sua trajetória empreendedora.

Idealizado pelo Instituto Multiplicidades e executado pelo Instituto Brasileiro de Cidades Humanas, Inteligentes, Criativas e Sustentáveis (Ibrachics), em parceria com o Ministério Público do Trabalho do DF e Territórios (MPDFT) e o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (Secti-DF), o projeto visa capacitar a comunidade jovem e negra por meio da tecnologia da informação e mentorias com especialistas renomados. Para mais informações acesse o site do Projeto Igualando Oportunidades: https://igualandooportunidades.com.br/

publicidade
zuleika

Quem é Zuleika Lopes

1

━ Relacionadas

Caesb abre processo seletivo para estágio remunerado

Estudantes de nível médio, técnico e superior poderão se inscrever entre os dias 28 de maio e 12 de junho A Companhia de Saneamento Ambiental...

Mamulengo Fuzuê inicia projeto de Teatro Popular de Bonecos em Ceilândia, Sol Nascente/ Pôr do Sol

O projeto VIVA O MAMULENGO! se estende durante todo o ano de 2024. Serão realizadas ações para fortalecer a salvaguarda da tradição, a formação...

Capital receberá o primeiro Festival da Cachaça de Brasília

Evento será realizado de 22 a 26 de maio, no completo do Mané Mercado. Além da degustação de bebidas, festival reunirá grandes nomes da...

Festa Origem traz o melhor eletronic music para a Capital

A festa Origem está chegando! No dia 29 de junho, um dos maiores eventos de eletronic music da capital ocupará as montanhas do Paraíso Achado. Se prepare...

UNICEPLAC lança curso de Ciência de Dados e Marketing Digital

Com duração de 2 anos, graduação está entre as profissões do futuro que devem dominar o mercado já em 2024, segundo estudo do Fórum...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

error: Conteúdo protegido