20.5 C
Brasília

Cadelinha de 3 anos é picada por cobra no Guará e passa por cirurgia

Data:

Compartilhe:

Amora começou a apresentar necrose na barriga e na pata. A suspeita é de que a cadelinha tenha sido picada por uma jararaca no Guará

Uma cadelinha da raça Golden Retriver foi picada por uma cobra no Guará II, região administrativa do Distrito Federal. Amora, de 3 anos (foto em destaque), chegou a ser levada para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de um hospital verterinário e passou por cirurgia.

Segundo uma das tutoras de Amora, Rayana Leonel, 29, os sintomas começaram em 13 de fevereiro. “A gente começou a notar que ela estava mancando e amuada. Ela estava com um edema na barriga e na perna, mas, até então não tinha necrose, não tinha nada”, lembra Rayana. Ela, a mãe e a irmã chegaram a levar Amora ao veterinário, fizeram alguns exames e voltaram para casa.

Tutores já gastaram 18 mil reais com cirurgia e internação da Amora

Porém, a ferida começou a ficar em carne viva e, na sexta-feira, 16 de fevereiro, estava completamente aberto e com cheiro forte. As tutoras, então, resolveram levar Amora em outro veterinário, onde descobriram se tratar de uma picada de cobra.

“Quando a gente chegou no hospital veterinário Amparo, na 311 Sul, eles começaram a fazer a limpeza da ferida, tiraram o pelo e viram a marca dos dentes da cobra”, conta Rayana. A hipótese da clínica é de que tenha sido uma picada de jararaca pelo quadro de necrose. “Foi entre a QE 13 e a QE 15 do Guará II”, completa a tutora.

Cirurgia

Ao identificarem a picada, Amora foi internada direto na UTI. “Na clínica a gente conseguiu ver a picada da cobra, a marca dos dentes, e ela começou a apresentar também sinais de necrose e de infecção renal. Ela foi direto para a UTI, em estado gravíssimo, com risco de ter sangue coagulando e dela poder ter uma morte eminente”, diz Rayana.

Porém, a clínica conseguiu reverter o quadro. “Na quarta-feira (21/2), ela foi submetida a uma cirurgia de debridamento, para tirar o tecido necrosado. E a infecção se espalhou desde a pata traseira até todo o abdômen dela e a pata dianteira”.

O tratamento de Amora já custou R$ 18 mil aos tutores. “Ela tem reagido bem ao tratamento. Ainda está internada e, no momento, a luta é contra a infecção, porque a infecção causada ali pelo veneno da cobra não reduziu. Estamos lutando para combater a sepse para que ela possa sobreviver e voltar para casa”, completa Rayana.

*Com informações do Portal Metrópoles

publicidade
zuleika

Quem é Zuleika Lopes

1

━ Relacionadas

Fluminense: vitória suada

Por Raimundo Ribeiro O Fluminense visitou o Bahia, e com marcação alta logo achou o caminho do gol, aproveitando uma retomada de bola que Cano...

Ocorrência de Maria da Penha, com tiros, traz pânico no Guará II

Os policiais militares do 4º BPM foram acionados para uma ocorrência de Maria da Penha, feita pela própria companheira, na QE 42 do Guara...

Cães e Cia inaugurará o primeiro hospital veterinário 24 h no Guará I

Após 35 anos de dedicação à saúde dos animais, é com imensa alegria que a Cães e Cia anuncia a inauguração do tão aguardado...

CLDF realiza solenidade em homenagem aos 64 anos de Brasília nesta segunda (22)

O aniversário de 64 anos de Brasília será celebrado em solenidade no Plenário da Casa nesta segunda-feira (22), a partir das 19h. A iniciativa...

Crematório do DF recebe licença para começar a funcionar

Nova estrutura amplia ações da Secretaria de Justiça e Cidadania quanto aos serviços funerários, além dos seis cemitérios da capital A Secretaria de Justiça e...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

error: Conteúdo protegido