20.5 C
Brasília

Quem é a Mulher Maravilha do DF

Data:

Compartilhe:

Próxima Caminhada Mulheres Feminicidio não será na estrutural, dia 3/11,com concentração a partir das 8 horas na Panificadora Estrutural, quadra 01, Avenida Comercial- Setor Leste

Em Samambaia, a Mulher Maravilha uniu mulheres de várias tribos, inclusive a deputada federal Flávia Arruda

Por anda ela passa se torna motivo de muitos olhares e até de piadas machistas, como os homens perguntando pelo SuperMan. Desde o mês de agosto de 2019, que Lucia Erineta , presidente do Instituto Feminicidio Não incorporou a personagem e percorre as cidades do DF em busca de parceiras que possam, efetivamente, ajudar às mulheres em situação de vulnerabilidade social e psíquica, causada pelas condições que vivem com seus companheiros, namorados ou amantes. À mulher brasileira está sendo negado o direito de amar.Se ela ama, confia, se confia, é morta.

Força, Garra e coragem são os adjetivos que a Mulher Maravilha possui

Mas quem é a Mulher Maravilha do DF? de onde ela surgiu? Qual sua trajetória de vida? A reportagem do Blog da Zuleika foi a campo entrevistá-la.

Quem é a Mulher Maravilha?

Lucia-É uma mulher forte, batalhadora, inspirada para vir ao mundo para trazer ao mundo asa boas novas a todas às mulheres que se encontram cativas de violência doméstica.Ela representa a simpatia, a garra e a beleza de todas nós.

Porque escolheu esta personagem?

-Foi escolhida porque com seus braceletes ela impõe um brado de vitória, com força e vitória.trabalhadora, empreendedora , uma mulher que sai à luta e defende.

Como surgiu a ideia das Caminhadas Contra o Feminicidio?

-Moro em Taguatinga e fiz uma reunião no meu prédio.Fizemos um primeiro encontro e conversamos, trocamos ideias e concluímos que precisávamos ir às cidades onde o foco de feminicidio é maior.

Como engajar às famílias?

Pretendemos engajar as famílias que estão em violência doméstica.Uma vez que as caminhadas adentram nas cidades, as mulheres aplaudem e tomam coragem para denunciar.Os agressores olham para nós e começam a se intimidar.As pessoas pedem nossos telefones e nos procuram. Tenho levado mulheres aos hospitais, às delegacias, acolho com muito amor.Alerto para as leis que existem para apoiar a mulher.Levo palavras de encorajamento para que elas criem forças para sair da situação vulnerável. Este é papel que o Instituto Feminicidio Não desempenha, o de acolhimento.

Várias entidades de Samambaia se uniram no grito de Parem de nos Matar durante o desfile Cívico e Militar no aniversário de 30 anos

Nos conte sobre os abusos ocorridos em seu casamento?

-È muito dolorido, não consigo nem relatar todos. Dói, machuca muito.É real. Fui vítima de muitas maldades e abusos de violência doméstica. Sofri um cativeiro, debaixo do jugo de um homem por 13 anos, levando socos e murros dia e noite. Levei tiro de arma de fogo do primeiro e do segundo marido.Sobrevivi, mas fiquei com sequelas na fala, na audição total do lado direito e 85% no lado esquerdo, na mente, nos nervos. Tenho como meta combater este mal.Levanto esta bandeira porque eu quero que muitas mulheres sejam salvas.Deus vai romper com este mal.

O que a motiva ?

_ O que mais me motiva, quando eu vejo que toda semana uma mulher desce a cova.Toda semana uma mulher está morrendo.Isto não é normal, precisamos ir às praças, às ruas, nas rodas de conversas, temos que gritar.Este mal tem que cessar, levando a palavra de Mulheres Feminicidio Não

No Guará, a Caminhada Feminicidio Não uniu os clubes de serviço, os escoteiros, a administração do Guará, a Secretaria da Mulher, os motoqueiros, as plataformas no Facebook, como o Mães& Filhas, os jornais e blogs locais, dentre outros.

Qual a mensagem às mulheres?

-Que nos possamos unir forças.Nos empoderar, nos amar e sair das mãos dos agressores. Não adianta mendigar por um aluguel ou um prato de comida para um homem que vive te machucando.Vamos caminhar, vamos palestrar e dar um basta. Já existiam várias outras passeatas como a da Paz, Contra a Violência, mas a Mulheres Feminicidio Não foi idealizada por mim, devido ao alarmante número de mulheres mortas no DF e no Entorno neste ano de 2019.

Em Taguatinga, paramos a Avenida Comercial Norte. Sempre com muita determinação. Ao fundo a deputada distrital Julia Lucy
publicidade
zuleika

Quem é Zuleika Lopes

1

━ Relacionadas

Caesb abre processo seletivo para estágio remunerado

Estudantes de nível médio, técnico e superior poderão se inscrever entre os dias 28 de maio e 12 de junho A Companhia de Saneamento Ambiental...

Mamulengo Fuzuê inicia projeto de Teatro Popular de Bonecos em Ceilândia, Sol Nascente/ Pôr do Sol

O projeto VIVA O MAMULENGO! se estende durante todo o ano de 2024. Serão realizadas ações para fortalecer a salvaguarda da tradição, a formação...

Capital receberá o primeiro Festival da Cachaça de Brasília

Evento será realizado de 22 a 26 de maio, no completo do Mané Mercado. Além da degustação de bebidas, festival reunirá grandes nomes da...

Festa Origem traz o melhor eletronic music para a Capital

A festa Origem está chegando! No dia 29 de junho, um dos maiores eventos de eletronic music da capital ocupará as montanhas do Paraíso Achado. Se prepare...

UNICEPLAC lança curso de Ciência de Dados e Marketing Digital

Com duração de 2 anos, graduação está entre as profissões do futuro que devem dominar o mercado já em 2024, segundo estudo do Fórum...

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor digite seu nome aqui

error: Conteúdo protegido